| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

Dossiê de Inclusão da marly

Page history last edited by marly tristão 14 years, 9 months ago

 

 

Dossiê da Marly

           

Crianças Especiais - Síndrome de Dom

 

 

 Como qualquer outra criança, as portadoras desta alteração cromossômica precisam sentir-se aceitas, queridas e respeitadas.

 Face arredondada, boca entreaberta, língua volumosa e produza (para fora da boca), olhos com forma diferenciada devido ás pregas nas pálpebras, membros pequenos e tônus muscular enfraquecido. Assim  é, aparentemente, os portadores da Síndrome de Dom, um acontecimento genético natural e universal, que está presente em todas as raças e classes sociais.

 A Síndrome de Down ou Trissomia 21 é uma deficiência mental congênita causada pela presença de um cromossomo 21 extra, total ou parcial. No entanto, Down não pode ser considerada uma doença e, dessa forma, não se deve dizer que uma criança sofre ou é vítima da Síndrome. O correto é dizer que a criança te, nasceu com ou é portadora da anomalia. (Texto: Michel Almeida, Psicólogo, revista O Guia para Educadores, abril2009, nº 01 Agepress).

 Na escola que trabalho, EM Duque de Caxias, no ano de 2007 recebemos um aluno com a Síndrome de Down, e ele foi meu aluno na 1ªsérie.  No campo do desenvolvimento social e emocional, estas crianças têm algumas dificuldades. Ficam frustradas e ansiosas mais facilmente, não assimilam bem a aprendizagem abstrata e têm mais facilidade com conteúdos concretos. Eles em ainda uma capacidade de concentração mais curta e demoram mais tempo para aprender regras sociais como a partilha, a cooperação e o trabalho em equipe, por exemplo. Por isso, precisam de suporte adicional na aprendizagem social. Eu fui trabalhar com ele por opção, pois neste ano eu iria trabalhar com a 2ª série, e a professora que estava destinada para a 1ª série não estava muito encorajada a trabalhar com uma criança com a Síndrome de Down. Então resolvemos trocar ela ficou com a turma de 2ª série e eu com a 1ª.  No primeiro dia ele chegou muito disposto, com seus materiais. A mãe me entregou ele, e foi embora, e ele ficou bem tranquilo, as outras mães dos alunos, ditos normais, ficaram na porta da sala e algumas crianças  choravam, não querendo que suas mães fossem embora.  Sua fala é bem comprometida não entendia quase nada do que ele falava, quando não conseguia entendê-lo ele me puxava para me mostra o que queria.  No final do ano de 2007, como ele estava na 1ª série de Nove anos, que não "roda", ele progrediu para a 2ª  série. Gosta de cantar, dançar, ouvir histórias, brincar de dirigir carro, ficava um tempo brincado com um volante de brinquedo. Na hora do trabalho ele quer participar, pega seu caderno, lápis, faz uns pontinhos nas linhas como se estivesse escrevendo. Seus traçados são de garatujas, gosta de massa de modelar, pintar com tinta, recortar. É carinhoso com a professora e com alguns colegas, as crianças tem receio dele porque às vezes ele agride ou empurra, adora jogar futebol na educação física e no recreio.

Neste ano, ele está repetindo a 2ª série, ele está mais acostumado na escola, fica mais tempo na aula.

Neste ano de 2009, Josias (nome fictício) está repetindo a 2ª série, segundo Avaliação Pedagógica da E. M. E. E. Cebolinha, dentro das suas potencialidades ele está permanecendo em atividades de concentração durante todo o tempo, envolvendo-se nos jogos com regras simples de dominó, encaixe e contagem, desenho da figura humana, comparação de figuras e reconhecimento de seus pares.

- Diferencia escrita e desenho.

- Na classificação de cores, agrupando-as e nomeando-as.

- Está interessado na contagem em sequência, associando ao barulho da peça caindo ao encaixar.

 

ADAPTAÇÕES NÃO SIGNIFICATIVAS DO CURRÍCULO

 

 

Organizativas:

Necessita do auxílio direto da professora, em atividades diárias de leitura e escrita. Precisa de: no mínimo, uma atividade personalizada por dia com intervenções sonoras, de segmentação e estrutura da palavra, frases e textos.

A organização de agrupamentos necessita de trabalhos em duplas, onde conte com um colega que o questione e interaja com a atividade, levando-o a focalizar sua atenção e ater-se à segmentação de sílabas em palavras e sonorização de fonemas. Necessita ainda de agrupamento onde possa exercer suas habilidades. É importante demonstrar seu conhecimento a dupla, e com isso, coloca-se no lugar, não só de aprendente como de ensinante

Á organização do espaço Josias necessita de espaços organizados, com antecipação das atividades, seguindo uma sequência. Quando houverem alterações na rotina, deve-se dialogar antecipadamente, orientando-o para novos passos.

Modificação da temporalidade O tempo de realizar as tarefas é mais longo, devido a sua distração. Porém é capaz de acompanhar a mesma proposta da turma se estiver acompanhado ou pela professora ou por algum colega.

A priorização de área ou unidades de conteúdos As áreas do conhecimento que necessitam ser priorizadas diz respeito ao português, a matemática e psicossocial.

Nos procedimentos pedagógicos é necessário acompanhamento individual, intervenções orais e manutenção da auto-estima.

O Josias necessita de adequações de técnicas e instrumentos que facilitem suas respostas e construções, na oralidade ou através de jogos pedagógicos. Neste caso é recomendável avaliações individualizadas, com a leitura, feita pela professora, dos enunciados e ordens e favorecimento de atividades com material concreto.

 

 

 

 

 

 

 

 

Outros Recursos:

 

 

 

 

·        Encaminhar para a saúde do trabalhador, para atendimento continuado com o serviço de fonoaudiologia.

 

·        Aconselha-se o acompanhamento quinzenal com o serviço de Orientação educacional para o Josias e mensal para sua família;

·        Indica-se o trabalho em laboratório de aprendizagem.

 

 

 

 

Unidade 2 

 

Políticas Públicas Brasileiras

 

      

       Trabalho na Escola Municipal de Ensino Fundamental Duque de Caxias,essa escola pertence a rede municipal de Gravataí.Nossa escola atualmente possui 464 alunos,distribuídos de 1ª - 9ª série.

       A escola está mais afastada do centro do município, quase na zona rural.

       A escola foi construída num terreno desnivelado, o que mais tarde, conforme a escola foi aumentando, obrigou a construção de escadas e muros, afim de utilizar o espaço do terreno.

       Atualmente temos um quadra coberta, que garante a realização de atividades, mesmo nos dias de chuva.

       O funcionamento da escola é das 7 horas e 45 minutos às 11 horas e 45 minutos.Nesse horário estudam as turmas de 3ª e 4ª séries do ensino fundamental de 9 anos e turmas de 6ª, 7ª e 8ª séries do ensino fundamental de 8 anos.

       A tarde as aulas são das 13 horas às 17 horas,com turmas de 1ª e 2ª séries do ensino fundamental de 9 anos e 4ª, 5ª e 6ª séries do ensino fundamental de 8 anos.

       Além da equipe diretiva que é composta pela diretora e duas vice diretoras, a escola conta com duas orientadoras de 20 horas cada e duas supervisoras,  também com 20 horas cada uma. Temos,  ainda uma biblioteca, com duas bibliotecárias com 20 horas.

       Nosso grupo de professores é composto por 18 professores, sendo que 8 trabalham 40 horas na escola.

       Na escola temos três casos de alunos com necessidades especiais. Nesta semana recebemos uma monitora para auxiliar a turma da 2ª série do Josias 

 

 O entendimento entorno da Educação Especial e Inclusão, deve ir além dos pressupostos legais previstos nas leis LDB nº 9394/96 capítulo V, Constituição Nacional de 1988 artigo 208 III e Resolução CNE/CEB nº2, de 11 de fevereiro de 2001, perpassando por um caminho tomado de sensibilidade, de respeito às diferenças como condições humana, que ao acolher a todos com igualdade de direitos proporciona a cada o que necessita em função de suas características e necessidades individuais.

 

 

Unidade 3

 

 

Material da SMED Gravataí – Atendimento a rede municipal

 

Público Alvo: Crianças e adolescentes

Especialidades atendidas: Neurologia, fonoaudióloga e oftalmologia.

 

a)      Neurologia - A escola deve entrar em contato com o serviço social e agendar atendimento informando dados sobre o educando e informar motivo do encaminhamento.

b)      Fonoaudióloga: A escola deve encaminhar o aluno para a triagem para o mesmo realizar uma avaliação.

c)      Oftalmologia: A escola deverá fazer um teste de acuidade visual e encaminhar a ficha de encaminhamento para o serviço social.

 

 

 CAEPSY – Centro de Atendimento e Estudos em Psicologia

Trabalha com atendimento psicológico de compreensão psicanalítica, oferecendo serviços de psicoterapia individual, grupal, para casal e família.

 

Psiquiatria – Trabalha com a prevenção, atendimento, diagnóstico, tratamento e reabilitação das doenças mentais, sejam elas de cunho orgânico e funcional.

Psicopedagogia – Tem como foco o trabalho com as dificuldades de aprendizagem, atendimento a crianças e adolescentes.

Fonoaudiólogo – A terapia fonoaudiólogica trabalha as dificuldades no desenvolvimento da linguagem, de fala e da voz.

Inclusão de Pessoas com deficiência – O CAEPSY participa de todo o processo de inclusão, desenvolvendo um programa específico de preparação da equipe para receber e conviver com os novos colegas.

 

 

 

Conselho Tutelar de Gravataí

 

Público Alvo: Criança e adolescente em situação de risco vítima de violência, maus tratos e negligência.

 

CEDUGRA – Centro de Educação de Gravataí

Público Alvo: Criança e adolescente

Especialidades: Psicologia e Psicopedagogia

 

 

 Central de Especialidades

Público Alvo - Crianças, adolescentes e família.

Especialidades: Cardiologista, Neurologista, Ortopedista, Dermatologista, urologista, pneumologista infantil e eletro cardiograma.

 

 

CEACAF - Centro de Atenção a Criança, Adolescente e Família.

População Alvo: Crianças, adolescentes e família.

 Especialidades atendidas: Psicologia, psiquiatria, psicopedagogia, serviço social, neurologia, hebiatra e terapia de família.

 

CAIS MENTAL

Público Alvo: Adulto

Especialidades atendidas: Psiquiatria, psicologia e assistente social.

 

 CEAC – Centro de Ações Coletivas

Tipos de projetos e programas oferecidos:

* Programa DST – AIDS

* Atendimento Infectológico

* Consultas, coletas de exames.

* Atendimento psicológico

* Atendimento social

 

 

CAPS – A/D – Centro de Atendimento Psicossocial em álcool e drogas.

Público Alvo – Adulto

Especialidades atendidas: Psiquiatria, psicologia e assistente social.

 

 

Centro de Saúde dos Trabalhadores

 

 

Grupo Operacional – Atendimento dentro da área operacional e auxílio as unidades básicas das especialidades de traumatologia, otorrinolaringologia e fonoaudiólogo.

 Cabe completar que o município de Gravataí, além desses serviços acima relacionados, conta com uma escola de atendimento especial para surdos, a EMES; E a Escola de Educação Especial Cebolinha, que atende crianças e adolescentes com deficiência mental, deficiência física, deficiência auditiva, deficiência múltipla, baixa visão, paralisia cerebral e condutas típicas.

     Muitas das crianças que agora estão na rede normal, antes eram atendidas nessa escola especial, como o Josias da minha escola.

 

 

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.